It might sound like a silly question, and perhaps you keep telling yourself that it is just bad luck. Well, maybe you want a situationship or a non-monogamous dynamic, but what about if you want a monogamous and long-term relationship?

Let’s forget the “bad luck” justification and bring to the table the real reason: the idea that you deserve to be punished.

Did you ever have this nausea feeling when you heard from kind people sincere eulogies? But at the same time, you felt compelled to chase mean-minded partners? Did you ever ask yourself the reason why you tend to repel great people but feel great excitement around those who don’t call you back or don’t invest their time genuinely getting to know you? Are you an adult now?

To answer those questions above, one of the reasons might be your childhood roots. But if going back can threaten your feelings, we can start from something more simple like asking: “Why I don’t like John or Kelly, even knowing that they are attractive and so kind to me?”. “What do I want from a relationship, and what is a romantic interaction to me?”.

Bring the answer to your conscious mind, take a deep breath, and read now my words: You deserve a real and trusting, loving romantic connection.

Kind people are generally very far from dull or stupid. In reality, affectionate people are very attuned with their emotions. And easily can see what you don’t observe about yourself: your uniqueness!

The moment you sit down, bringing to your conscious mind what you need to change, it is precisely the moment that you will stop chasing unavailable people. Sometimes all we need is a moment of clarity and profound loneliness to understand our patterns and inner unavailability to accept realness and kindness.

How do I know this? Well, from psychology and life experience.

Let me add something more here: If your vagina is receiving a penis, or you are inserting a penis in one vagina, YOU HAVE EVERY RIGHT TO ASK WHERE THE RELATIONSHIP IS GOING AND IF YOU ARE ON THE SAME PAGE!

It is healthy and expected to label a relationship. But be sure that you do that with available people. With men and women who can see you and accept whatever you possess within. By removing your body and mind from what feels comfortable, you are opening new doors, new possibilities, and trust me, looking at kindhearted individuals will be a brand newish thrilling experience.

With love,

Alexandra

Junte-se à conversa

2 comentários

  1. Eu sempre me pergunto se há diferenças entre homens e mulheres e qual será esta diferença. A resposta que sempre vem é que, enquanto gênero, somos iguais e que as outras questões são impostas pela própria sociedade como uma construção social que favorece aos que se julgam mais fortes. Bem, se não há diferença real e se homens e mulheres necessitam um do outro, porque não se com´plementar da forma mais sensata? A verdade é que parece haver uma competição entre os gêneros e ninguém ganha no final. Eu, particularmente, acredito que todos precisamos de parceiros e que esta parceria poderia ser incrível se aprendêssemos a nos perceber em nossas diferenças e que isto nos levasse a construir uma igualdade.

    Liked by 1 person

    1. Olá Ricardo 🙂

      obrigada pelo teu comentário!

      Na realidade, existem diferenças entre homens e mulheres se para a morfologia cerebral, por exemplo. Contudo, quando nos referimos a relacionamentos a dois, as relações são fortemente influenciadas pela forma como vivemos o amor nos primeiros anos de vida, mas também, com as primeiras relações afectivas que construímos já na fase adulta.
      Quero com isto dizer que a nossa vinculação influência a 90% as nossas relações e os restantes 10% constituem outros factos como a cultura do país e afins.

      Para aprender a lidar com as diferenças próprias de uma relação, é importante olhar para aquilo que nos provoca medo. Entender o porquê. Não ter pressa de estabelecer uma relação e sim, fazer perguntas consideradas “difíceis” para seleccionar correctamente quem merece estar na nossa vida. Era importante que se esquecesse um pouco as “borboletas na barriga” que nem sempre são bom sinal, antes uma informação do corpo que nos alerta para perigos. Talvez um dia entendam isto. Espero bem que sim e espero ainda ver em vida as transformações que se esperam de forma tão urgente na educação da sociedade.

      Liked by 1 person

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: